Tags

, , ,

Tardei, quase falhei, mas cá estou. :-)

Desde o começo do blog, recebo alguns emails de pessoas interessadas em trabalhar no mundo da moda que gostariam de saber a minha opinião sobre essa faculdade. Então, decidi publicar a minha opinião aqui.

Antes de qualquer coisa, esclareço que eu não estudei moda; portanto, a minha opinião é, digamos assim, a de uma outsider.

Vamos lá, de forma direta e objetiva, eu não acho que cursar faculdade de moda seja lá um grande negócio, nem em termos acadêmicos nem em termos profissionais.

Academicamente, é o tipo de curso relativamente novo, com pouca tradição. Basta olharmos os grandes teóricos da moda; praticamente nenhum fez faculdade de moda, certo? Ainda assim, a minha maior crítica se refere à formação humanística do curso. Se pensarmos na bagagem humanística ideal e desejável para um profissional da área, podemos ver que o curso de moda é extremamente fraco nesse sentido.

Então, o que posso dizer às pessoas que têm interesse numa formação direcionada para o mundo da moda é que me parece bem mais interessante que vocês cursem uma faculdade mais tradicional e que depois se especializem na área. E essa faculdade tradicional tanto pode ser de caráter humanístico como de caráter técnico. Outro ponto importante a se considerar: a estrutura curricular de uma faculdade de moda não é nem suficientemente humanística nem suficientemente técnica.

Uma pequena observação: eu já vivi os dois lados da moeda, fiz um curso com séculos de tradição acadêmica e um curso “novo”, ambos da área de Humanas, e posso opinar sem a menor dúvida que, em termos de solidez na formação e de rigor acadêmico, uma faculdade tradicional sempre se apresenta como a melhor opção.

Tudo isso que falei até agora foi baseado nos aspectos acadêmicos do curso. Agora, pensemos no mundo profissional. Pouquíssimos dos grandes estilistas, por exemplo, fizeram faculdade de moda. Mas isso não vem tanto ao caso. O que importa é que o mercado de trabalho cada vez valoriza mais e mais e mais os perfis transversais. Ou seja, uma pessoa que sabe muito de uma coisa só e pouco ou quase nada de todo o resto é coisa do passado. Hoje o que interessa é o caráter multidisciplinar da formação e da experiência dos profissionais. Um pequeno exemplo:

1) Faculdade de moda + pós em moda + mil cursos em moda.
2) Faculdade de arquitetura + pós em moda + mil cursos de estilismo.
3) Faculdade de belas artes + pós em moda + mil cursos de estilismo.
4) Faculdade de sociologia + pós em moda + mil cursos de mercado e de história da moda.
5) Faculdade de história + pós em moda + mil cursos de mercado e de história da moda.

Qual é o perfil mais interessante nesse caso? Na minha opinião, o menos interessante é o 1, e é óbvio que eu não desmereço ninguém que tenha percorrido esse caminho. Apenas penso no caso dos que vão fazer vestibular e que partem do princípio de que para trabalhar com moda é preciso fazer faculdade de moda. Isso nunca foi assim e segue sem ser.

Eu fiz um pequeno passeio pelos curricula do pessoal da Zara, já que se trata de uma empresa que contrata muita gente, e comprovei que o perfil 1 é a exceção. A maioria dos profissionais tem formação multidisciplinar. Aliás, existe muito mais homogeneidade nos cursos de pós que nos cursos de graduação. Afinal, qualquer graduado com certa aptidão pode se especializar em moda, e as boas escolas internacionais de pós são mais que conhecidas, né?

Estas seriam as considerações que eu faria ao meu filho – caso tivesse um – se ele quisesse estudar moda (#mammafeelings, hahaha!). Lógico que cada um deve estudar aquilo que bem entender, mas fazer um plano de formação a curto/médio/longo prazo e ampliar um pouco o leque de possibilidades são coisas que sempre ajudam.

Fora isso, desnecessário ressaltar para qualquer pessoa que tenha interesse em trabalhar na área que, para conseguir um lugar ao sol no mercado da moda, é obrigatório saber inglês, né? Vale lembrar que francês e italiano continuam sendo idiomas altamente valorizados no meio. E que qualquer conhecimento técnico ajuda a ter uma visão mais ampla e orgânica do setor; mesmo que você não vá trabalhar diretamente com determinadas coisas, sempre é bom correr atrás de conhecimentos de desenho, corte, costura, computação gráfica, maquiagem, fotografia, etc. :-)

Anúncios